segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Volkswagen se envolve em escândalo e coloca sua reputação em risco

Uma grande fraude tornou-se o principal assunto a ser comentado pelo setor automotivo e industrial na última semana. Uma das maiores empresas do setor, a Volkswagen admitiu ter fraudado mais de 11 milhões de veículos.


A empresa alemã, admitiu ter usado um software para fraudar testes que detectavam a emissão de gases poluentes em seus veículos movidos à diesel, o assunto veio à tona através do governo dos Estados Unidos, que, por meio da EPA (Agência Ambiental Americana) denunciou que pelo menos 500 mil veículos haviam sido fraudados no país. A própria empresa, no entanto, admitiu que o software havia sido implantado em 11 milhões de carros que circulam no mundo todo, em modelos de várias marcas que pertencem ao grupo.

O reflexo deste acontecimento vai além da renúncia do até então presidente mundial da Volks, Martin Winterkorn, que aconteceu no dia 23 deste mês e da queda de quase 20% no valor das ações da empresa no pregão da bolsa de valores do dia 21/09. O que está em jogo pode mudar a realidade de uma empresa que era vista com bons olhos por muitos consumidores, a marca passa a ser a principal prejudicada.

A reputação de uma empresa é algo que demora muito a ser construída, existe muito trabalho de comunicação, marketing e valores que a empresa quer passar para o seu consumidor, porém, qualquer má pratica pode colocar todo este trabalho em risco e manchar a reputação de uma empresa por muito tempo ou quem sabe, para sempre.

O que fica desta experiência para a montadora alemã é o prejuízo de mais de 6 bilhões no reparo dos automóveis fraudados, uma reputação manchada, a queda nas ações, a renúncia do presidente e a vergonha de agir contra uma causa de importância mundial como é considerada o controle da emissão dos gases poluentes.